Um ano diferente, trazendo uma vida diferente

Reading time ~1 minute

Sigo acordado desde três horas e pouco da madrugada quando fui ao banheiro (nem eram quatro horas ainda) e minha cabeça acabou não permitindo que dormisse mais. Ainda ando procupado com alguns assuntos da casa nova, e um pouco ansioso com o emprego novo que começa no final do mês, parte de mim esta feliz, mas os outros problemas que acabam me rodeando, principalmente na família me preocupam um bocado.

Estou na casa dos meus pais, e o fato por si só trás mil implicações que eu não desejava nunca mais ter passado na minha vida, mas me sinto tão grato que não consigo mensurar, por ter pessoas que meu amam e me ajudaram neste momento de necessidade. A ideia de não ter um teto ainda que temporáriamente, ou não ter para onde voltar é meio desesperadora, somando ainda o fato de que ocupar o espaço na casa de alguém ainda que por um tempo curto, é definitivamente um saco pra pessoa, eu me sinto mal. Tirando que meus móveis (que graças a deus são poucos), estão ocupando um espaço bem esquesito no quintal dos meus pais, mas tenho fé de que é paliativo e só por mais uns dias.

Como não tem nada meio ruim que não possa ganhar mais cores de terror: minha sobrinha sumiu. A família esta se mobilizando porque minha cunhada provavelmente levou a menina escondido para fora do estado, o que claro, tá culminando em um estado de nervos bem esquisito… Não recomendo pra ninguém a sensação de ter um ente querido próximo, e não saber se ele está bem ou não está, se esta sentindo frio, fome. Díficil de lidar… Minha cunhada sequer estava respondendo mensagens da minha mãe por dias, e voltou a faze-lo (não de maneira satisfatória) apenas semana passada, e provavelmente por pressão, mas seguimos sem saber onde nossa menina está. O coração segue apertado, mas tenho fé as coisas vão se alinhar novamente aos poucos, claro que também parte de movimentações nossas.

Clear

Published on March 04, 2021

Clear

Published on March 03, 2021