Kalunga

Reading time ~3 minutes

Recentemente estive buscando oportunidades de emprego, desde que minha última investida não saiu como o esperado (inclusive preciso fazer um balanço sobre isso aqui no site), isso me deixou um pouco desestabilizado psicologicamente, o que definitivamente não dá pra chamar de meu melhor momento, já que fisicamente eu estava doente também (e ao menos naquele período, estava tentando descobrir o que estava me adoecendo).

Tive a maravilhosa oportunidade de participar do processo de uma das empresas que gosto muito, mas já no primeiro momento percebi que não conhecia muito da mesma. Os últimos meses conseguiram clarificar para mim que a área que possuo menos conhecimento é o varejo, ela contempla uma gama tão grande de pequenas coisas e loops de processo, seja no macro ou no micro. É uma roda muito bonita de se ver funcionando, mas não sinto que já me atraiu, tirando nos momentos em que a mesma acabou me dragando para dentro dela.

A parte muito legal de participar de muitas entrevistas (e isso também se deu em um momento do ano passado), é poder se revisitar, de uma maneira ou de outra repassar com outras pessoas muito do que você já fez na vida pessoal e profissinal, é uma joranada interessante. Gosto de parte desse processo de olhar pra trás, tento fazer isso com frequencia, a fim de absorver experiências, evitar erros já cometidos, e replicar boas fórmulas.

Avancei algumas etapas no processo, era basicamente para vendedor de informática, os beneficios eram legais, apesar do salário base ser relativamente baixo, e de a localização ser definitivamente em um lugar que sempre ponderei meio que fora de mão. A localização é maravilhosa se você tiver carro, mas fica dentro de um shopping de luxo (então vindo de carro, adicione o estacionamento), quanto a onibus, existem muitos que passam no ponto em frente a uma das entradas do lugar, mas a maioria vai para outras cidades. Dentro da própria cidade em si, APENAS UMA LINHA realiza o percurso (bem de leve dá uma vontadezinha de morrer). No primeiro dia voltando da entrevista, pouco antes da mesma acabar, começou uma chuva TORRENCIAL, e quando estou saindo do shopping, vejo o onibus parado pra sair (o intervalo entre um e outro não é pequeno) e muitos metros de estacionamento chuvoso entre mim e meu objetivo. Resumo: peguei chuva, mas consegui chegar rapido em casa, e quando digo rápido é algo em torno de umas duas horas e meia depois. Fiquei com a sensação de ouvido entupido por uns 3 dias, mas valeu.

No fim, acabou que não fui contratado, porque algo no meu perfil foi reprovado pela matriz, mas em um processo que mais de 120 pessoas estavam participando, chegar no finalzinho, já valeu pra dar uma injeção de ânimo, e nossa!! Como eu estava precisando… Uma injeção de ânimo, consegue nos suprir por semanas. Os responsáveis por cuidar da loja são pessoas simplesmente maravilhosas, dá a sensação de que eles realmente fazem o que gostam, e tem aquela energia contagiante que encontramos nesses tipos de pessoa. Aquela energia legal, que consegue nos tocar também de alguma forma. A transição de 2020 foi muito disso pra mim mesmo, de encontrar novamente em mim esse tipo de energia, porque periodos anteriores a haviam enfraquecido.

Me pergunto se eu aguentaria por anos o tranco de ser vendedor? Quando estive na Miami Store a experiência foi interessante, como seria meu desempenho hoje anos depois? Sinto um pouco de falta de contato direto com pessoas, mas também me recordo de existirem dias consideravelmente exaustivos, a ponto de chegar em casa e capotar, mas mesmo isso com um pequeno misto de boa sensação. E recordando, me incomodava um pouco o fato de não ter convênio e nem pagarem a alimentação, sendo o maior diferencial a comissão.

Clear

Published on March 04, 2021

Clear

Published on March 03, 2021